Boas vindas

Que todos possam, como estou fazendo, espalharem pingos e respingos de suas memórias.
Passando para as novas gerações o belo que a gente viveu.
(José Milbs, editor)

6.8.07

ELIETE LACERDA SANTOS DA COSTA....

ELIETE LACERDA SANTOS DA COSTA, nasceu em MACAÉ onde morou até se casar com o português Antonio Fino da Costa. Filha de José de Moura Santos e Maria Leonor Lacerda Santos morou na Rua Doutor Bueno, famosa Rua do Meio. Estudou no Colégio Macaense, freqüentou as lindas e inesquecíveis sessões dos Cines Taboada e Santa Izabel. Uma das jovens mais bonitas de sua época era uma das mais assíduas presenças na Praia de Imbetiba, point social da região nos anos 50 e 60. Gostava de visitar o FAROL VELHO DE IMBETIBA em suas caminhadas.

Eliete mudou-se para o Rio de Janeiro e foi morar com sua Tia, Ondina Lacerda Coelho e com seu Tio Jonas Lacerda Coelho, na Rua Araxá, 522, no Grajaú. Foi ali que ela conheceu o grande amor de sua vida e com ele teve duas lindas filhas: Maria Eduarda e Maria Clara.

Durante a infância de suas filhas, residiu na Rua Caruaru e, mais tarde mudou-se para a Avenida Atlântica em Copacabana. Quando tinha 6 anos de idade, Eliete morou no Bairro Del Castillho com seus pais e seus irmãos José Mathias, Nelson, Maria Clyce e Terezinha. Ali era uma das mais alegres meninas do Bairro Operário do Rio de Janeiro e foi uma grande tristeza para toda a comunidade sua volta para Macaé... Praia de Imbetiba

Em Copacabana continuou sua existência de afeto, desta vez, voltada para suas filhas e neto. Na morte de sua querida irmã Maria Thereza Lacerda Santos e de seus pais abriu-se um vácuo em sua existência e, mesmo alegre e risonha com todos, a gente notava que a saudade falava por entres as poucas rugas que seu belo rosto deixava a mostra.

A natureza, com sua presença em todas as vidas deixa, para muitos que sabem da percepção, estes traços das saudades que ficam presas nas paredes das nossas memórias. Eliete não sabia esconder este sentimento e ele a acompanhou até o seu passamento...

Seus dois genros, casados com Clarinha e Eduarda, ambos Almirantes da Marinha de Guerra do Brasil, respectivamente Almte. Washington Luz e Marcus Fernando de Oliveira podem aquilatar o grande afeto que ela espalhou em vida a quantos tiveram o privilégio de sua convivência.

Seu único neto, Marcus Fernando Filho foi, sem sombra de dúvida, um grande presente que recebeu da natureza humana, o que a fazia entender a beleza da Perpetuação da Espécie...

Na qualidade de primo, quero deixar acessado em todos os sites de buscas do mundo, esta homenagem que faço em nome de todos os parentes de Eliete Lacerda Santos da Costa que, em vida foi um exemplo de amizade e carinho com todos que tiveram o privilégio de conhecê-la. (José Milbs de Lacerda Gama, escritor e editor de www.jornalorebate.com

2 comentários:

Ivan Sergio disse...

Querido irmão Milbs (Milbinho)

Fiquei muito feliz em ver a homenagem à nossa querida e inesquecível prima Eliete. Tenho certeza ue Clarinha e Tinho, Eduarda e Nando, Mathias (que ainda me chama de IBENGUE),Clice e filhos, Nelson e familia devem estar muito contentes.Acho tambem que Tia Da, Tio Zézinho e Terezinha devem estar felizes la no céu. Não sei se voce sabe que a Eliete era minha confidente e que eu tinha um carinho especial por ela.

Agradeço por esta homenagem mais do que merecida

Abraços e parabéns pelo belo texto

Ivan Sérgio de Lacerda Gama (IBENGUE)

Ivan Sergio disse...

Retificando erro de digitação TIA DOCA ( Eleonor) Ela nao gostava que pegasse no braço dela para atravessar a rua. E qu era tambem uma pessoa maravilhosa e especial.

IVAN S L GAMA