Boas vindas

Que todos possam, como estou fazendo, espalharem pingos e respingos de suas memórias.
Passando para as novas gerações o belo que a gente viveu.
(José Milbs, editor)

18.10.10

ZELIA DE SOUZA AGUIAR UMA HISTÓRIA DEDICADA A EDUCAÇÃO E A REGIÃO DE PETRÓLEO





Rebuscando minhas pastas antigas dos anos 70, quando exercia o mandato de vereador e Cláudio Moacyr estava Prefeito, encontrei alguns recortes de bilhetes que a gente fazia sobre determinadas ocasiões. Cláudio queria homenagear Dona Zélia mais tinha receio, por estarmos em csmpanha eleitoral. Ele era candidato a Deputado e eu a Prefeito pelo MDB.
Era uma ocasião importante. Cláudio queria dar o nome de "Colégio de Professôra ZELIA AGUIAR" e a gente tinha uma especial afeição por ela devido a sua amizade com minha Mãe Ecila, Minha avõ Nhasinha e a mãe de Cláudio Dona Zelita. Naqueles tempos as pessoas eram gratas ao sentimento de amizade e isto era uma marca constante no aprendizado do Amor.
Dona Zélia Aguiar era a fonte de onde todos os líderes políticos da região iam solver dos ensinamentos e dos principais desejos reinvindicatórios em todos os tempos.
Uma espécie de fiel de uma balança imaginária que, sabedor de seu prestígio junto as Massas, todos tinham que passar pela AREIA BRANCA e tomar um café em sua casa que ficava ao lado de uma Escola recheada de calor humano...
Concorria comigo para a Prefeitura de Macaé, outros 5 candidatos. Era o tempo das Sub-legendas. No MDB éramos 3. Eu, Alcides e Mirandinha. Na ARENA: o Antonio Benjamin, Dr. Manoel do Carmo e o Dr. Edwin Waytt. Todos já tinha ido visitar Dona Zélia e a gente adiou a homenagem para depois do pleito para não parecer coisa de eleição.
Era uma tarde amena. O Sol ainda, preguiçosamente, se estendia nos morros da "Areia Branca" e alguns de seus fiapos coloridos davam cores ao lindo Riacho que, alegre e radiante, proporcionava aos peixinhos alguns mergulhos nas belas pedras das Cachoeiras que fazem desde lugar um paraiso.
Dona Zélia estava lindamente alegre com seu sorriso de menina de interior. A sua face era de um rosado de infinita alegria e os olhos tinham o brilho da dignidade e do afeto. Olhamos em redor e pudemos ver, brotando das relvas de uma grama esverdeada e feliz a combinação natural de Dona Zélia com a natureza...
Um longo abraço envolveu esta bela senhora ao meu amigo e Prefeito Cláudio. Não tive ciumes deste afago por que recebi o mesmo e, como que marcado pelo relégio do afeto, tive os mesmos minutos do abraço e do carinho. Sua vóz tinha o frescor dos ventos e pudemos ouvir, saído da sonoridade de seu interior, a frase que a gente levou para o sagrado local de nossas recordações:
- "Claúdio e José Milbs, não posso deixar de votar em vocês. Ao abraça-los pude ver claramente a presença de Zelita e Ecila. Já falei com o Zé Augusto que está no Frade e a minha filha de 11 anos Neliah, irá acompanha-los até a Bicuda Grande para o comício das 20 horas. A Lúcia e as outras meninas já estão avisadas. Façam pela Educação e pela Sáude. Olhem pelo POVO sofrido que eles precisam muito da juventude de vocês".
Os olhos desta linda professorinha de interior mexeu com o coração de meu amigo Prefeito. Cláudio não pode esconder o sentimento e foi traido por uma lágrima que não soube enxugar...
- Pois é Dona Zélia, não ia falar isso com a Senhora hoje. Mais não posso esconder. A Prefeitura irá dar o nome de ESCOLA ZELIA AGUIAR a escola que a senhora ministra aulas e isso é o mínimo que podemos fazer para perpetuar sua prsença neste rincão macaense...
Passado o pleito, anos e anos depois, eleito Antonio Benjamin, esteve com ele num evento em Petrópolis. Antonio me chama num canto do Hotel Quitandinha e me diz:
- Voce e Claudio conseguiram "me furar os votos em Cachoeira de Macaé, Bicuda e Areia Branca. Zélia, Iza e Tarcísio Figueiredo abriram os espaços e voces foram vitoriosos em várias urnas...
Era a confirmação real do fruto eleitoral nascido no amor que sempre norteava as eleições nos anos 70...
Passados anos e anos, no encontro de meus pertences memoriais, registro a presença vida desta senhora professora que até hoje é lembrada e amada por tantos como eu e Cláudio tivemos a honra de conhecer e respeitar.
A AREIA BRANCA ainda reflete o mesmo Sol que pinga seus raios coloridos nas pedras banhadas pelas Cachoeiras e pelo vento ameno. Na mistura de Saudade e reconhecimento centenas de moradores ainda lembram e veneram a querida Mestre Zelia Aguiar.
O REBATE, cuja edição prima pelo respeito a hiatória, homenageia esta missionária das letras e aproveita para desejar aos seus familiares que não se esqueçam que a luta e a maestria de Zélia continuem a trilhar os caminhos de outras mestres.
(José Milbs de Lacerda Gama editor de www.jornalorebate.com

2 comentários:

Neilah disse...

Obrigada pela homenagem a minha mãe...
Tenho honra de ter sido agraciada pelo Criador de te-la como mãe!!
Uma pessoa que lutou pelos menos favorecidos e alfabetizou uma localidade, quando se casou e foi para Areia Branca(distrito de Macaé) e fundou uma escola. Hoemmnagem justa do então Prefeito Clauidio Moacyr. Uma grande mulher!!!exemplo de seriedade e solidariedade.
Obrigada Milbs!!!
Bjs

Anônimo disse...

Boa sou a familia souza aguiar e me horgulho muito de ser souza aguiar este e meu nome jose manoel de souza aguiar