Boas vindas

Que todos possam, como estou fazendo, espalharem pingos e respingos de suas memórias.
Passando para as novas gerações o belo que a gente viveu.
(José Milbs, editor)

19.9.10

ANOS 62 E 70: DOIS ENTÃO JOVENS ROBERTO MOURÃO E JOSE MILBS SÃO DERROTADOS NA PREFEITURA DE MACAÉ POR ANTONIO CURVELO BENJAMIN...


PINGOS DE MEMÒRIA
(foto da então virgem, bravia e bela PRAIA DE IMBETIBA dos anos 50, com suas Areias Monazíticas e Reluzentes)
Duas histórias parecidas tiveram destaque em Macaé nos anos 60/70. Ambas foram na disputa eleitoral para a Prefeitura de Macaé, cidade situada ao Noroeste/Norte do Estado do Rio de Janeiro, hoje Capital Brasileira do Petróleo.
A cidade ainda engatinhava no progresso e tinha suas Ruas sem calçamentos, vivendo de de Pesca, Turismo e um tímido Comércio.
As atuais cidades de Carapebús e Quissamã eram, respectivamentes, terceiro e quarto distritos. Dominava a política uma elite bem sólida que não permitia a chegada de nada que viesse a catucar seus poderes e mandos. Vencia às eleições quem tivesse acesso e votos nos distritos onde ainda imperava os votos de gratidão, cabresto e vigiamento de jagunços que eram useiros e veseiros de comandar os velhos "currais eleitorais" que predominavam. Alguns oriundos das Fazendas e outros dos remanescentes das Usinas e seus Senhores que, ditavam os destinos de Macaé. Os votos de Macaé e da Barra do Rio Macaé tinham o mesmo peso da soma dos votos dos Distritos. dai que os "velhos politicos de antanho" faziam suas articulações sempre com a "cabeça de chapa" em Macaé e os vices no interior. Técnica que era invencível e que dominava a politica macaense.
Em 1962, o então jovem Professor Roberto Mourão, de origem simples, com vasta liderança no Bairro de Aroeira, foi lançado como candidato a Prefeito pelo então PSB, partido que tinha como Presidente o bravo e aguerrido Vereador José Calil Filho que abriu mão de sua candidatura natural e apoiou o jovem Professor Mourão. O Vice da chapa veio da Região da Serra na pessôa integra do respeitado Farmacêutico Senhor Lauro.
Uma pequena coligação com o MOVIMENTO NACIONALISTA DO MARECHAL LOTT, elegeu 3 vereadores: José Calil Filho, Roberto Ramires da Costa e Walter Quaresma.
Mourão vence em quase todas as urnas da cidade de Macaé e na Barra. Quando começa as apurações nas urnas de Carapebus, Quissamã, Glicério e demais distritos, a grande votação obtida na cidade, foi dando lugar a chegada vitoriosa de Antonio Curvelo Benjamin que vence com a pequena margem de 130 votos. Os anos passam...
Em 1970, eu exercia o mandato de Vereador e Cláudio Moacyr a Prefeitura. Era a época do voto de legenda e sub legenda. Haviam 6 candidatos. 3 de cada partido. No MDB, depois de uma articulação e costura que Eu, Cláudio, Iltamir, Calil e outros, estavámos preparando desde 1965, no objetivo de uma candidatura diferenciada para tomada do poder munucipal, meu nome surge como candidato pela Legenda principal do MDB e mais dois nomes nas Sub-Legendas. Alcides Ramos numa sub e Gerson Miranda noutra.
Alcides viria para dividir o eleitorado de Quissamã e Mirandinha para somar votos nos outros distritos já que tinha exercido o mandato de Prefeito na cassação de Eduardo Serrano nos anos 59/60, creio eu...
Impasse criado dentro do MDB:
Alcides não aceitou a Sub legenda e ameaçou não ser candidato. Nesta altura a ARENA já tinha os seus 3 candidatos. Antonio Curvelo Benjamin (tendo como vice o lider politico de Quissamã, Amilcar Pereira da Silva), Dr. Manoel do Carmo Lousada e o Dr. Edwin Waytt. Se Alcides saisse, "aí que a Vaca ia pró brejo como falou Iltimar e Calil". Cláudio me chama no "Café e Restaurante Belas Artes" com a peoposta de eu abrir mão da Legenda para Alcides. Chamo meus candidatos a vereadores Armando Barbosa Barreto, Edson Luiz, Lealdino Magalhães e o nosso querido e corajoso Vice Jodyr Souto Corrêa. Não adiantava brigar. Era aceitar ou perder de lavagem...
Saimos, eu, Alcides e Mirandinha contra Benjamin, Manel e Waytt. Na soma dos votos, mais uma vez a vitoria veio nos votos dos distritos. Perdemos por pouco menos de 200 votos e, mais uma vez, Antonio Benjamin vence as eleições. Armando Barbosa Barreto, Edson Luiz e Lealdino Magalhães são eleitos primeiro, segundo e terceiros suplentes respectivamente. Por pouco menos de 30 votos eles não chegam ao Legislativo Municipal.
Outras tentativas de eleição de nomes diferentes foram tentadas diversas vezes em sucessivas eleições por vários outros jovens dos anos 80 e 90.
Ronaldo Tanus Madeira, José Augusto Aguiar, Mirian Mancebo Reid, Marilena Garcia cujas histórias e lutas serão comentadas em outros PINGOS DE MEMÓRIA...
(José Milbs de Lacerda Gama, memorialista e editor de O REBATE www.jornalorebate.com

Um comentário:

Comitê de apoio ao jornal A Nova Democracia disse...

Todas as atividades de divulgação da imprensa popular no Rio de Janeiro serão divulgadas no novo blog do Comitê de apoio ao jornal A Nova Democracia.

http://comite-anovademocracia.blogspot.com/

Saudações!!